Visualizar Artigo

Quanto da generosidade que você oferece aos outros é dedicada a você mesmo?

Quarta, 24 Agosto 2016
Artigo
Cáren Araújo Proença
Tamanho da Fonte

Se um amigo vem à sua porta pedir ajuda para um problema causado por uma escolha errada, você provavelmente vai acolhê-lo, fará um chá ou um café, sentará com ele, irá escutá-lo e oferecer o seu melhor conselho. Como amigo, é quase certo que você vai amorosamente alertá-lo sobre os equívocos, irá ajudá-lo a crescer.

E com você? Como você é com você em relação aos seus próprios tropeços?

 

Eu quero lhe fazer uma proposta: Seja generoso consigo.

Observe aquela culpa que você carrega há algum tempo, um tempo considerável. Encare-a de frente e analise a causa desta culpa sob todos os ângulos. Observe atentamente qual o vocabulário que esta situação desencadeia em sua mente, quanto desta conversa íntima lhe aprisiona e o entristece. Comece a revertê-la! Seja o amigo da sua mente.

Pondere, avalie, atente para as palavras que você usa para você mesmo. Trate-se com a delicadeza madura que enfrenta mas não agride. Compreenda que você não irá acertar sempre e que isso faz parte do seu processo de corrigir o passo da sua caminhada. 

Entenda que as trilhas tortas, pelas quais você muitas vezes opta, lhe desafiam a um olhar desacomodado. Veja que o desconforto é um convite a sair da casca e tentar novamente de um jeito mais sábio e equilibrado.

Seja generoso consigo. Acolha o aprendizado e perdoe-se.

Ria da ingenuidade, absorva o crescimento e evolua.

Abrace sua alma carinhosamente, reconheça o descuido, interiorize a lição que precisa ser mantida  e sorria para novas possibilidades recheadas de um olhar mais atento.

Antes de ser amigo de alguém, você precisa ser amigo de si mesmo. 

Dê-se o prazer de uma bebida quentinha e o conforto de um momento só seu para avaliar suas sombras sem o peso da culpa, da auto-cobrança, mas com a leveza de quem se ama e sabe que, de qualquer jeito, você cresce.

Liberte-se das expectativas perfeccionistas a respeito de si mesmo. Ofereça à sua alma toda a compaixão que você oferta aos que você aprecia.

Eu não pretendo propor que você seja relapso com seus erros, não... mas que você flua com a vida!

Dê o melhor de si sempre. Permita-se fluir diante da insegurança. 

Não permita que a sua mente crítica impeça que você se arrisque e tente.

Tenha coragem de tentar e errar e tentar de novo e melhorar e tentar de novo e de novo até chegar onde acha que deve! 

Permita-se ser observado e elogiado e criticado, se for o caso.

Cresça, evolua, amplie-se! Ofereça-se flores! Dê-se um sorriso!

Seja generoso consigo e eu estou certa de que toda a bagagem que você descobrirá dentro de si servirá de inspiração para a bondade as realizações e superações que você busca. 

A leveza lhe trará o sorriso farto e isso, por si só, fará milagres.

Aceita meu convite: Seja generoso consigo.

Gostou? Compartilhe este artigo!

 Comentários
 Artigos em Destaques
  • Quarta, 31 Julho 2019

    Celebramos os discursos mais poderosos proferidos por grandes mulheres que nos inspiraram ao longo dos anos – e mudamos nosso mundo para melhor.

  • Quinta, 18 Agosto 2016

    Você é daquelas pessoas que senta no computador determinado a terminar (ou começar) aquele relatório importante para seu chefe e depois de cinco minutos já está indo checar o Facebook ou o email? Se identificou com o perfil? Veja como combater isso.

  • Quinta, 21 Julho 2016

    Pensando no velho e no novo. Dentre tantos artigos que escrevo, talvez este tenha sido o único que me fez pensar muito no velho e no novo, até mesmo no escritório da Educar e Transformar, no porquê nos comportamos de forma tão entranha no mercado de trabalho, diferente muitas vezes do nosso comportamento na vida particular, inclusive diferente de tudo que pregamos como RH, gestores e como seres humanos, infelizmente.

  • Segunda, 19 Janeiro 2015

    Você está procurando emprego? E enquanto faz isto, fica postando em redes sociais? Muito cuidado: uma coisa pode atrapalhar a outra. As redes sociais tem sido usadas para obter percepções sobre quem você é fora da sala de entrevistas, e dependendo do tipo de postagem que você faz, isto pode significar sua exclusão do processo seletivo.