Visualizar Artigo

Você sabia que vende seu tempo? Tempo tem preço?

Sexta, 29 Julho 2016
Artigo
Tânia Michelena
Tamanho da Fonte

Olá!! Tudo bem contigo?

Essa semana eu vi um documentário e recomendo (quanto tempo o tempo tem) e nesse documentário pude refletir muitas coisas importantes a respeito da vida contemporânea. Algumas já obvias mas que pouco paramos para pensar.

 

1. Vendemos nosso tempo nas relações de trabalho;

2. O tempo mudou muito desde a entrada da internet na vida das pessoas, ele se transformou em algo imediato;

3. As informações hoje são fragmentadas e pouco nos aprofundamos nas questões, apenas lemos artigos e nos tornamos o expert em vários assuntos;

4. Se vendemos nosso tempo, por quanto devemos vende-lo? Se não estivessemos ( precissasemos) trabalhar o que estaríamos fazendo?

Bom pensar nisso porque hoje nos vemos sem tempo para nada e com informações imediatas nos sentimos tentados a todo momento a distrair a mente, é difícil mesmo ficar longe da internet e muito tentador ficar a todo momento olhando distrações ou produzindo conteúdos para alimentar cada vez mais esse mundo virtual cheio de facilidades.

Mas e nosso interior? como lidar com tantas informações fragmentadas? Como nos reinventarmos diariamente frente a tantas informações? 

Um exemplo claro disso é quando precisamos de informações sobre determinado assunto, em seguida temos várias informações e muitas vezes antagônicas o que nos torna seres confusos e desorientados.

Vou dar um exemplo meu pessoal, quando fui mãe, tudo que eu tinha dúvidas (e são muitas) eu ia para internet e são tantas opiniões diferentes e teorias de certo e errado que eu acabava muitas vezes esquecendo que meu sentimento era o maior termômetro para o que quer que estivesse acontecendo comigo naquele momento, claro que internet ajuda muito, a troca de informaçoes é muito valiosa, mas a pergunta é: precisamos de tanta informação? como vivíamos sem tantas informações? Certamente bem mais conectados com nós mesmos, com mais dúvidas e mais vivências reais do que virtuais.

E esse é o desafio de hoje, não vai haver retração dessa realidade, é essa realidade que está aí, e cabe a nós tentarmos preencher nossos vazios com coisas mais reais, com pessoas, vivências, encontros pessoais.

Menos celular, mais contato, mais olho no olho, mais conexão com o que sentimos, quanto mais olhamos para fora menos podemos sentir nossa intuição, e a tendência para nos anestesiarmos na internet é grande, temos que estar atentos a isso, atentos a nossa missão aqui que certamente não é ficar com a cara o dia todo no computador, no celular.

Para um pouquinho agora, vai....respira fundo, fecha os olhos e aquieta a mente e presta atenção em volta, nos barulhos, no silêncio (se possível) entra em você....e esse é o presente.

Presente é a única coisa real que temos, o resto são conjecturas. O que você está fazendo com seu presente? Aproveitando com aqueles que ama? quais são suas prioridades? Estás no piloto automático? Consegue se conectar de vez em quando com você mesmo? O que está faltando para isso te acontecer? quanto vale o teu tempo?

Gostou? Compartilhe este artigo!

 Comentários
 Artigos em Destaques
  • Quarta, 31 Julho 2019

    Celebramos os discursos mais poderosos proferidos por grandes mulheres que nos inspiraram ao longo dos anos – e mudamos nosso mundo para melhor.

  • Quinta, 18 Agosto 2016

    Você é daquelas pessoas que senta no computador determinado a terminar (ou começar) aquele relatório importante para seu chefe e depois de cinco minutos já está indo checar o Facebook ou o email? Se identificou com o perfil? Veja como combater isso.

  • Quinta, 21 Julho 2016

    Pensando no velho e no novo. Dentre tantos artigos que escrevo, talvez este tenha sido o único que me fez pensar muito no velho e no novo, até mesmo no escritório da Educar e Transformar, no porquê nos comportamos de forma tão entranha no mercado de trabalho, diferente muitas vezes do nosso comportamento na vida particular, inclusive diferente de tudo que pregamos como RH, gestores e como seres humanos, infelizmente.

  • Segunda, 19 Janeiro 2015

    Você está procurando emprego? E enquanto faz isto, fica postando em redes sociais? Muito cuidado: uma coisa pode atrapalhar a outra. As redes sociais tem sido usadas para obter percepções sobre quem você é fora da sala de entrevistas, e dependendo do tipo de postagem que você faz, isto pode significar sua exclusão do processo seletivo.