Visualizar Artigo

A diferença entre um chefe e um líder

Quinta, 21 Julho 2016
Artigo
Fábio Augusto Vieira
Tamanho da Fonte

A humanização entre os seres e os cargos que ocupam.

Algumas pessoas fazem uma grande diferenciação entre cargos, comportamentos e hierarquias no mercado, o que é interessante, mas ao mesmo tempo se esquecem que o tanto o cargo quanto sua posição hierárquica são apenas funções dentro de um determinado lugar, e como função, não quer dizer que dure para sempre, apenas enquanto existir a necessidade da sua existência.

Mas o que isso significa realmente?

Bem, quando estudamos sobre cargos, chefias e lideranças, geralmente colocamos tudo num mesmo ponto e vemos tão somente as funções estabelecidas, quando na realidade devemos não ver mais as funções em sim, mas o relacionamento humano que se ajusta antes, na e após a função exercida. Por exemplo, quando um chefe precisa tomar alguma decisão, o que deve ser visto como princípio da sua decisão, é o quanto isso afetará as pessoas ao seu redor e abaixo dele hierarquicamente, e também, o quanto afetará as pessoas que utilizam o produto ou serviço que a empresa deste chefe gera.

Na prática: imagine que na empresa VolksWagem, o chefe ficaria sabendo que havia uma fraude em seu software que calculava a quantidade de emissão de poluentes. Ele demite os fraudadores e deixa evidente a fraude, podendo perder mercado, ou apenas repreende os fraudadores e os mantém para preservar o nome da empresa? Uma pessoa preocupada com a função de chefe em si, talvez jamais demitisse e viesse a se expor desta forma, e foi um pouco do que ocorreu recentemente no mercado, onde os próprios engenheiros vieram a delatar o caso e com isso Martin Winterkorn renuncia ao cargo de presidente-executivo e pede demissão da Volkswagem.

Agora em poucas palavras falo da diferença do que é um líder, pois em sua visão, não se preocupe com sua função tão somente, mas com as pessoas. A única diferença entre uma pessoa que ocupa uma função (pode ser chefe, diretor, gestor) e um líder é esta: “O líder inspira pessoas pela sua própria atitude”.

Na prática: Em uma entrevista, Jorge Gerdau responde para o diretor da empresa Renner (José Galló) sobre como se formam os líderes, e este responde: “Não sei, acho que líder e empreendedor se formam dando oportunidades! ”.

A empresa Gerdau é uma das maiores do país, tem excelência na gestão e também a questão da meritocracia é fundamental, e mais que ser uma grande empresa, ela possui um líder que todos conhecem, que sabem dos seus erros pois são assumidos em público no momento que ocorre se preciso, onde as fraquezas são expostas e sem medo algum, suas dores são mostradas, e ainda assim é a Gerdau, exatamente porque possui um líder, e não alguém visto simplesmente como o dono, mas ao contrário, é alguém que inspira todos que estão com ele….esta sim, é a única e verdadeira diferença entre um líder (inspiração) e um chefe (compromisso apenas com a função).

 

Gostou? Compartilhe este artigo!

 Comentários
 Artigos em Destaques
  • Quarta, 31 Julho 2019

    Celebramos os discursos mais poderosos proferidos por grandes mulheres que nos inspiraram ao longo dos anos – e mudamos nosso mundo para melhor.

  • Quinta, 18 Agosto 2016

    Você é daquelas pessoas que senta no computador determinado a terminar (ou começar) aquele relatório importante para seu chefe e depois de cinco minutos já está indo checar o Facebook ou o email? Se identificou com o perfil? Veja como combater isso.

  • Quinta, 21 Julho 2016

    Pensando no velho e no novo. Dentre tantos artigos que escrevo, talvez este tenha sido o único que me fez pensar muito no velho e no novo, até mesmo no escritório da Educar e Transformar, no porquê nos comportamos de forma tão entranha no mercado de trabalho, diferente muitas vezes do nosso comportamento na vida particular, inclusive diferente de tudo que pregamos como RH, gestores e como seres humanos, infelizmente.

  • Segunda, 19 Janeiro 2015

    Você está procurando emprego? E enquanto faz isto, fica postando em redes sociais? Muito cuidado: uma coisa pode atrapalhar a outra. As redes sociais tem sido usadas para obter percepções sobre quem você é fora da sala de entrevistas, e dependendo do tipo de postagem que você faz, isto pode significar sua exclusão do processo seletivo.