Visualizar Artigo

FGV avalia que mercado deve voltar a gerar empregos este ano

Terça, 04 Abril 2017
Noticia
Tamanho da Fonte

O Indicador Antecedente de Emprego avançou 0,3 ponto em fevereiro ante janeiro, para o patamar de 95,9 pontos, o maior nível desde maio de 2010

"Vai aumentar o emprego, o mercado de trabalho vai melhorar um pouco, mas a recuperação mais forte só acontecerá no ano que vem" (Paulo Fridman/Bloomberg)

 

Rio – O mercado de trabalho deve registrar geração de vagas este ano, embora a efetivação dessa expectativa ainda dependa da recuperação da economia, avaliou o economista Fernando de Holanda Barbosa Filho, do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV).

O Indicador Antecedente de Emprego (IAEmp) avançou 0,3 ponto em fevereiro ante janeiro, para o patamar de 95,9 pontos, o maior nível desde maio de 2010.

Quando há crescimento, a tendência é que haja geração de vagas. Já o Indicador Coincidente de Desemprego (ICD) recuou 1,9 ponto na passagem de janeiro para fevereiro, atingindo 100,7 pontos.

Quando o índice tem queda, significa melhora na avaliação dos consumidores sobre momento atual do mercado de trabalho.

“Os agentes estão com planos para contratar nos próximos meses. A pergunta é quando isso vai se realizar. Obviamente depende da situação da economia de uma forma geral. Se houver sinais de melhora, as contratações vão ocorrer”, afirmou Barbosa Filho.

A situação atual, entretanto, ainda é bastante desfavorável. “O ICD ainda está num nível muito elevado”, lembrou ele, ressaltando que o indicador acompanha a avaliação dos consumidores sobre a situação do emprego.

Os componentes que mais contribuíram positivamente para a alta do IAEmp em fevereiro foram os indicadores que medem a expectativa com situação dos negócios nos seis meses seguintes, da Sondagem da Indústria, e o ímpeto de contratações nos três meses seguintes, da Sondagem do Setor de Serviços.

A faixa de renda que mais contribuiu para a queda do ICD foi a do grupo de consumidores que recebem entre R$ 4.800,00 e R$ 9.600,00 mensais, com recuo de 3,3 pontos no Indicador de percepção de dificuldade de se conseguir emprego.

Barbosa Filho estima que a taxa de desemprego deva atingir o pico entre o primeiro e segundo trimestres deste ano, para depois começar a cair, com ligeira criação de postos de trabalho.

“Vai aumentar o emprego, o mercado de trabalho vai melhorar um pouco, mas a recuperação mais forte só acontecerá no ano que vem”, ponderou o economista.

O ICD é construído a partir de dados da Sondagem do Consumidor que procura captar a percepção sobre a situação presente do mercado de trabalho.

Já o IAEmp é formado por uma combinação de séries extraídas das Sondagens da Indústria, de Serviços e do Consumidor, todas apuradas pela FGV. O objetivo é antecipar os rumos do mercado de trabalho no País.

Fonte: exame.abril.com.br

Gostou? Compartilhe este artigo!

 Comentários
 Artigos em Destaques
  • Sexta, 28 Abril 2017

    Em 2016, mulheres passaram a ocupar 44% das vagas Nos últimos 50 anos, as mulheres têm deixado de atuar apenas no ambiente privado para também se lançarem no mercado de trabalho. Os avanços nas leis trabalhistas permitiram o crescimento dessa mão de obra. Em 2007, as mulheres representavam 40,8% do mercado formal de trabalho; em 2016, passaram a ocupar 44% das vagas.

  • Segunda, 17 Abril 2017

    Até 45% das atividades serão automatizadas nos próximos dois ou três anos, mas 83% das empresas esperam manter ou aumentar o número de profissionais. O avanço da tecnologia vai mudar a dinâmica do mercado de trabalho e até 45% das atividades feitas por profissionais podem ser automatizadas nos próximos dois ou três anos, fazendo com que a tecnologia substitua as tarefas cognitivas e manuais para que as pessoas possam assumir tarefas não rotineiras e funções mais satisfatórias.

  • Segunda, 10 Abril 2017

    Consultoria desenha as tendências do mercado de trabalho para 2017: O ano de 2016 não foi nada fácil para os brasileiros. Crise, incertezas no cenário político e escassez de abertura de novos postos de trabalho fizeram com que muitos perdessem seus empregos sem ter a oportunidade de conseguir uma recolocação rapidamente. A boa notícia é que o pior já passou e essa situação deve começar a mudar a partir do primeiro trimestre de 2017.

  • Domingo, 09 Abril 2017

     Quem está procurando emprego ou quer abrir seu próprio negócio sabe que investir em qualificação é muito importante. Fazer um curso é uma alternativa eficaz para quem busca recolocação rápida, ou para quem quer ser empreendedor e começar um negócio na sua área de atuação.

  • Sexta, 07 Abril 2017

    Um currículo bem feito leva tempo, mas agrega valor e oferece vantagem competitiva ao candidato; "Planeje o seu e não faça de qualquer jeito", diz especialista.

  • Segunda, 03 Abril 2017

    O economista Thiago Xavier, da consultoria Tendências, avalia que a criação de 35,6 mil vagas de trabalho em fevereiro — o primeiro saldo positivo depois de 22 meses seguidos em que a economia só perdeu postos — reforça a visão de que o ciclo de ajustes no mercado de trabalho está perdendo força.

  • Domingo, 02 Abril 2017

    Especialista em RH selecionou algumas sugestões para quem quer se manter bem no mercado de trabalho. Entrar no mercado de trabalho é um desafio e tanto. Mas permanecer nele, com sucesso, talvez apresente ainda mais dificuldades. As exigências profissionais são cada vez maiores e os funcionários precisam se readaptar constantemente. No passado, as empresas se preocupavam principalmente com a competência técnica. O funcionário deveria conseguir exercer a sua função com êxito. No entanto, hoje só a competência técnica não é mais suficiente.

  • Quinta, 25 Maio 2017

    Ser um revendedor lotérico é antes de qualquer coisa, ser um empreendedor de pequeno porte, já que para conseguir ser um é necessário abrir uma casa lotérica, dando início ao que se entende por ter um negócio próprio.  Um revendedor lotérico precisa ter uma autorização formal da Caixa Econômica Federal, que só poderá ser conquistada por meio de um processo licitatório, que visa entender se o interessado de fato atendeu a todos os requisitos exigidos no edital de abertura.